3 de março - Dia Mundial de Anomalias Congênitas

No intuito de conscientizar o mundo sobre o impacto das anomalias congênitas, promover o desenvolvimento e implantação de programas de prevenção, além de expandir os serviços de saúde para todas as pessoas com defeitos congênitos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) se reuniram com vários lideres de organizações de saúde para comemorar pela primeira vez o Dia Mundial de Anomias Congênitas em 3 de março de 2016.

Anomalias congênitas, são defeitos genéticos que aparecem ao nascimento e é a segunda principal causa de morte em crianças com 28dias de nascido ou mais jovens e em criaças menores de 5 anos.

Combinado com  prematuridade, asfixia e sépsis, os defeitos congênitos são responsáveis por cerca de 44% das mortes em crianças. Defeitos ao nascimento afetam 1 em cada 33 bebês e causam 3,2 milhões de deficiência a cada ano.

   

As anomalias congênitas podem ter origens genéticas, infecciosas ou ambientais, embora na maioria dos casos, é difícil identificar uma causa. Os distúrbios graves mais comuns de nascimento são no coração e defeitos do tubo neural e síndrome de Down.

Para os bebês que sobrevivem e vivem com essas condições, defeitos de nascimento aumentam o risco de deficiência de longo prazo, que afetam muito os indivíduos e suas famílias, os sistemas de saúde e da sociedade. Muitos defeitos congênitos podem ser prevenidas ou tratadas. Ácido Fólico suficiente e consumo de iodo durante a gravidez, a vacinação contra a rubéola (que pode ser transmitida aos filhos durante a gravidez) e assistência pré-natal adequada são as medidas básicas de prevenção.

 

Em: 03.03.2016

Por: SIAT/BA

Fonte:  http://www.paho.org